Artistas como Luan Santana e Roberto Carlos aderem às gravações em EP, formato novo no mercado nacional

Artistas brasileiros têm apostado no EP (sigla de “extended play”), que nada mais é do que um CD com menos músicas, uma novidade no mercado brasileiro, mas um formato consolidado já há muitos anos no exterior.

Nomes como Luan Santana, Paula Fernandes e Fafá de Belém lançaram músicas em EPs neste ano. A venda de CDs caiu 12,45% em 2012, na comparação com o ano anterior, segundo a Associação Brasileira de Produtores de Discos. A queda de faturamento das vendas de formatos físicos — juntos, CD, DVD e Blu-ray caíram mais de 10% — só não foi maior graças ao fenômeno “Esse Cara Sou Eu”, de Roberto Carlos. A música, até então inédita, foi lançada junto de outras três, no formato EP.

CUSTO E ITUNES

Há várias razões para um músico optar por um EP em vez de um CD convencional. Uma delas é a redução no preço da produção e, consequentemente, em um preço final menor para o consumidor, o que facilita a venda.

No Brasil, até pouco tempo era comum o artista em início de carreira –sem gravadora e sem recursos financeiros– lançar EPs como forma de divulgar seu trabalho.

Depois, partia para o CD, como ocorreu com a Orquestra Imperial e, mais recentemente, com a banda Holger e com o capixaba Silva.

Outros artistas encontram no EP uma solução para fazer com que uma música que tenha estourado, lançada isoladamente –como o “single”, consolidado nos Estados Unidos–, saia no formato físico.

São os casos de Paula Fernandes, com o sucesso na novela, e de Luan Santana, com “Te Esperando”, cujo clipe teve mais de 13 milhões de visualizações no YouTube.

“O fato de o Roberto ter lançado o EP com um hit mostrou para o público que vale a pena. O Rei abriu as portas para outros artistas. É uma ideia da gravadora que pode ser uma tendência de mercado”, diz Luan Santana.

“Em virtude da novela, começamos a ter uma demanda grande dos fãs e nas rádios. Os EPs se tornaram uma boa solução para casos como esses, mas não consigo enxergar o formato como substituto do CD cheio”, diz Paula Fernandes.

Além deles, de 2012 para cá artistas como Ivete Sangalo, Claudia Leitte, Victor & Léo, Jota Quest, Agridoce (projeto de Pitty com o guitarrista Martin), Sandy, Clarice Falcão, Madrid e MC Anitta, entre outros, lançaram EPs.

Um dos aspectos que contribuíram para o fortalecimento dos EPs foi a chegada do iTunes (loja de discos e vídeos da Apple) no Brasil, em 2011.

Como os EPS têm poucas músicas, algumas pessoas preferem comprá-las apenas no formato digital. Dos mais de 2 milhões de cópias de “Esse Cara Sou Eu”, mais de 500 mil são do iTunes.

Fonte: Folha de São Paulo

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: